Super Dicas

Coronavírus: saiba por que estocar alimentos não é necessário

A propagação do novo coronavírus, agente causador da Covid-19, que gera infecções respiratórias, criou um cenário de incertezas no Brasil e no mundo. Entre as diversas ações de prevenção, uma recomendação é recorrente: se puder, permaneça em casa. A medida é o que chamamos de distanciamento social – muito importante, já que o vírus se espalha de pessoa para pessoa.

O alerta criou, então, uma preocupação: a possibilidade de um eventual desabastecimento de produtos. A procura por alimentos e produtos de limpeza em grandes quantidades aumentou. Em diversas regiões, os supermercados já registraram filas e até prateleiras vazias. O álcool em gel, por exemplo, ficou em falta.

E, afinal, por que a compra excessiva e o estoque de itens em casa, além de não ser necessário, tornam-se perigosos? Confira:

A importância da conscientização

Comprar produtos em quantidades exageradas faz com que itens básicos fiquem em falta. Se, em uma única casa, o estoque cresce, em outras podem faltar mantimentos. Mais do que nunca, é preciso ter conscientização, apoio e empatia ao próximo.  Quando falamos em perigo, um outro alerta é a superlotação dos mercados. A aglomeração de pessoas em um único espaço é um dos fatores de risco de contaminação da Covid-19 e pode prejudicar a saúde da população.

Está se perguntando o que fazer? Fique tranquilo! Redes de supermercados, como a Rede SuperMais, são abastecidas com frequência por indústrias e fornecedores. A chamada cadeia produtiva está atendendo normalmente. Como o ideal é ficar em casa, procure comprar o necessário em horários com menos movimento, em quantidades coerentes que atendam você e sua família.

Lembre-se que, fazendo nossa parte, evitamos transtornos e contribuímos para a prevenção da doença e da transmissão do coronavírus. Ao deixar o supermercado, utilize álcool em gel para higienizar as mãos ou as lave com água e sabão até a altura dos cotovelos. Sua atitude faz a diferença! Compartilhe essa ideia!